voltar ao blog

Integrações: fazer ou comprar?

Quando o sistema exige novas integrações, paira sempre a dúvida: é melhor ter um serviço interno, ou terceirizar? A resposta é equilibrar.

O que é mais vantajoso para o seu negócio, fazer um sistema integrado de software com tecnologia desenvolvida “em casa”, ou comprar uma ferramenta pronta? De um modo geral, as empresas percebem que as plataformas de integração aumentam o potencial dos serviços prestados aprimorando as soluções internas. Isso gera economia nas plataformas digitais e APIs.

A possibilidade de gastar menos com um sistema de desenvolvimento interno e construção de integrações in-house é a principal vantagem apontada por CEO, CTOS, CIOS e gerentes de projetos.

O time de tecnologia precisa analisar com cuidado o tipo de complexidade do projeto para definir qual segmento adotar para não cair numa falsa ideia de que a demanda será simples.

Há três alternativas possíveis para implementar a integração: usar a integração nativa das aplicações; construir um fluxo das integrações de ponta a ponta e/ou terceirizá-la e contratar uma plataforma de integração (iPaaS).

TagChat: 7 passos para automatizar seu negócio

De acordo com Elemar Júnior, fundador e CEO da EximiaCo, que trabalha como tech trusted advisor ajudando diversas empresas a gerar mais resultados através da tecnologia, grandes organizações, frequentemente, discutem sobre comprar software ou “desenvolver em casa” para suportar o negócio.

Baseado em sua experiência, Júnior observa que muitas empresas erram ao achar que “comprar pronto” sai mais barato.  “Outras vezes, assumem tendência quase compulsiva de exercer controle impedindo qualquer coisa desenvolvida por terceiros”. Ele diz que os dois comportamentos causam prejuízos importantes que, muitas vezes, demoram para serem identificados.

Como a economia está sempre no rol de metas de qualquer empresa. A tendência é economizar quando se pensa em desenvolver “musculatura tecnológica”, a fim de criar sistemas. Afinal, fazer do jeito certo, além de caro, é arriscado. Portanto, em muitos casos, as soluções prontas, pelo menos em teoria, vão acrescentar expertise e podem se consolidar com pequenos ajustes, quando necessários, em diversos cenários. No lugar de codificar, bastaria configurar. “Entretanto, o evidente tem se mostrado rotineiramente incorreto”, observa Jr.

Em sua opinião, dificilmente se encontra no mercado experiências bem-sucedidas de implantação de “soluções de prateleira”, em grandes organizações, sem esforços volumosos de customização e para integrações envolvendo, inclusive, a escrita de muito código.

Integrações nativas

Muito utilizadas em Saas, as integrações nativas proporcionam métodos mais simples de trabalho, estando limitadas entre as poucas aplicações existentes ou entre as mais usadas pelo mercado.

Como nem todos os Saas são dotados de integrações nativas, os que as têm costumam ter muita dependência da gestão delas. Assim, a ausência de visibilidade quando dá algum erro no funcionamento e a falta de campos customizados podem comprometer a operação.

No caso de descontinuação de um sistema desses, a integração tende a se perder, e com ela todo o processo. São exemplos as integrações que o HubSpot oferece com Shopify, Google Calendar e Gmail.

Building In-house

Conhecer o processo de construção de um projeto, passo a passo, é tão importante quanto construir uma casa. Só conhecendo bem a construção, você saberá administrar o projeto ou passar o bastão para outra pessoa na equipe.

Além disso, é importante saber o que esperar em cada estágio da construção. Só assim, isto dará a confiança para se envolver com as alterações e negociações que o desenrolar do processo poderá exigir ao longo do caminho da construção.

Isso é especialmente importante quando você atua como seu próprio gerente de projeto ou realiza qualquer trabalho sozinho, para que possa garantir que os materiais cheguem e as negociações sejam contratadas no momento certo para uma construção tranquila. Muitos empreendimentos, em especial aqueles que já contam com uma equipe de tecnologia sólida, conseguem desenvolver internamente os projetos de integração sem maiores sobressaltos por isso.

Existem diversas bibliotecas disponíveis que auxiliam na execução desses projetos. Mas é preciso tomar cuidado, e realizar um planejamento muito realista, para não cair na falsa impressão de que o custo será bem mais baixo ou muito mais alto do que realmente deveria ser necessário.

Até porque, a tendência é que saia muito mais caro, uma vez, que ao começar o desenvolvimento de integrações ponta-a-ponta, “dentro de casa”, pode ocorrer do projeto que deveria ser de dias, se tornar uma bola de neve, que vai perdurar por semanas ou até meses, emperrando em complexidades como diferentes métodos de autenticação, transformação de dados e tratamentos de erros.

Depois de colocar em produção, novos campos dos sistemas surgem, com eles, novas demandas de manutenção e otimização. Quando o mesmo desenvolvedor que construiu a integração não consegue prestar manutenção é fundamental que o projeto esteja bem documentado para que um outro profissional possa dar andamento.

Um caso bastante comum, também em integrações construídas internamente, é que os desenvolvedores estão focados somente em integrar um sistema no outro, e poucos conseguem criar um bom processo de monitoramento.

O problema nestes casos é quando as panes começam a afetar o consumidor final, tendo que abrir chamados e reclamações sobre dados não atualizados e entregas de pedidos atrasadas. Sob o risco de manchar a imagem do negócio.

Uma forma moderna para solucionar os diferentes desafios de projetos complexos é contratar uma Plataforma de Integração ou iPaaS, que é um modelo de integração muito recomendado e significa Integration Platform as a Service, ou plataforma de integração como um serviço, é um conjunto de serviços em nuvem que premia o desenvolvimento, execução e governança de fluxos de qualquer tipo de integração.

Os iPaaS são dedicados à simplificação e padronização de integrações ponta-a-ponta em diferentes aplicações e sistemas que são usados dentro de um ecossistema empresarial.

A plataforma de integração consiste em conectar outras aplicações, sejam elas SaaS, sistemas legados, Banco de Dados ou até arquivos que são importantes para a automatização de processos de negócios e para a garantia da sincronia de dados entre diferentes fontes, com gestão facilitada.

Como começar do zero

Encontrar o talento certo é algo difícil e caro, e em 85% dos casos, os projetos de IA têm uma alta probabilidade de falha, segundo a Gartner. Mesmo quando um projeto funciona, um fornecedor comercial pode lançar algo a um custo menor, com atualizações regulares, mais integrações e interface do usuário mais intuitiva.

Outra hipótese é o seu patrimônio usado de DIY (faça você mesmo) de AI se tornar supérfluo, ao colocarem novos projetos no mercado, daí pode se buscar recurso gratuito ou upgrade para uma plataforma que sua empresa já possui.

A compra de ferramentas prontas para uso de AI pode ser mais rápida, mas às vezes é inevitável tê-la de construir do zero. Isso inclui casos em que os dados, ou os modelos, são extremamente sensíveis ou proprietários, ou quando ferramentas comerciais simplesmente não estão disponíveis.

A EnergySavvy, uma organização de software focada no setor de serviços públicos, criou algoritmos proprietários para analisar os padrões de uso de energia dos clientes de serviços públicos.

Para fazer isso, a empresa construiu uma organização de ciência de dados com um forte foco na especialização do setor. A plataforma de análise em si é construída sobre tecnologias de código aberto, indo além dos insights básicos, do direcionamento básico e da personalização básica disponível em outros lugares.

A Dialpad, uma provedora de serviços VoIP empresariais baseada em San Francisco, construiu o seu sistema VoiceAI do zero - embora sistemas comerciais de reconhecimento de fala e processamento de linguagem natural estivessem disponíveis.

A Dialpad montou uma equipe própria de especialistas em processamento de linguagem natural e reconhecimento de fala e cientistas de dados e alguns profissionais com Ph.D. em neurociência computacional.

Ao construir uma solução a partir do zero, a empresa também foi capaz de oferecer recursos exclusivos. Além da transcrição de chamadas em tempo real, por exemplo, ela também conta com coaching em tempo real, análise de sentimentos e notas inteligentes ao vivo e itens de ação.

A Link Api ajudou a Flormel a reduzir em até 70% o seu Lead Time interno. A Flormel é uma empresa de alimentação saudável e possui foco em doces voltados para todos os tipos de públicos. A empresa impulsionou seu e-commerce para aumentar suas vendas online. Automatizando seus fluxos de integrações, pelo ERP, Sankhya, e sua plataforma de e-commerce, a VTEX.

Uma das principais dificuldades da Flormel na operação de seu e-commerce era captar os pedidos da sua plataforma de ecommerce no ERP, de forma automatizada, e isso foi solucionado com a ajuda da LikApi.

Links pesquisados:

www.linkapi.solutions.com.br
www.elemarjr.com
www.cio.com.br
www.linkapi.solutions

2022 © Tag Center. Todos os direitos reservados.
arrow-leftarrow-right linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram